expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

quinta-feira, 16 de abril de 2015

PREFEITO AFIRMA QUE AINDA NÃO DEFINIU SEU VICE PARA CAMPANHA DE REELEIÇÃO!

Algumas horas depois de publicada a postagem sobre o lançamento da pedra fundamental para construção de uma igreja evangélica na Malhadinha e, por conseguinte, o encaminhamento para campanha eleitoral do pleito 2016,  prefeito municipal, Thiago Dória, entrou em contato com a CNNPV para afirmar que ainda não tem candidato a vice. O recado foi dado na noite desta quarta-feira (13).
"Não tenho definição do vice nas próximas eleições. Nunca citei isso; e os nomes citados como já dispensados tem sim condições em igualdade com Adauto para pleitear o cargo de vice! Tem nomes como Germano, Deraldo, tem também o presidente da Câmara, o vereador Gilson, Evislan de Zeca de Silvino!", afirma Thiago com sua diplomacia que lhe é peculiar. Contudo, nos bastidores não tem sido bem assim. Tanto que que as últimas imagens divulgadas em rede social corroboram com a ideia levantada por nós. E a linguagem corporal dos envolvidos, idem!
Ainda de acordo com o prefeito Thiago Dória, são "vários nomes que iremos discutir no momento certo! Por enquanto, todos plantando suas sementes! Não haverá precipitação da nossa parte. Essa definição sairá no momento certo!". (foto:Thiago)

+ NEWS:

+ O novo salário mínimo deve chegar a R% 854,00 para 2016.

+ O funcionalismo do Estado pode ver seu salário de abril parcelado. A Secretaria de Estado da Fazenda já avisou da possibilidade de não pagar o valor integral haj vista a baixa no Fundo de Participação dos Estados.

+ Meteorologistas preveem um aumento significativo de chuvas a partir de maio no agreste sergipano incluíndo Poço Verde. De acordo com o centro de meteorologia de Sergipe o acúmulo pode ficar entre 100 a 200 mm.

+ A secretaria municipal de Obras enviou maquinário para fazer a limpeza da estrada que liga Poço Verde ao povoado Rio Real.


quarta-feira, 15 de abril de 2015

UM RETORNO À ESCRAVIDÃO: O RETROCESSO DO PL DAS TERCEIRAZAÇÕES

ARTIGO - Por Baruc Martins - Está em tramitação no Congresso Nacional um Projeto de Lei (PL), do senador Sandro Mabel (PMDB/GO) que acaba com o trabalho da maneira que conhecemos hoje. O PL 4330/04, conhecido como PL das terceirizações, propõe que o serviço terceirizado possa ser ofertado não só como atividade meio, mas também como atividade fim na Administração Pública Direta. Isso, na prática, junto com as medidas provisórias sancionadas por Dilma que impõem novas regras ao seguro-desemprego e a pensão por morte, acaba com o concurso público e coloca sobre o colo do trabalhador e da trabalhadora uma dinamite com o pavio já aceso.
Não é novidade, dentre os pesquisadores da sociologia do trabalho, o que significa o trabalho terceirizado. No geral, os adjetivos são os piores: alta rotatividade, salários mais baixos, sem direito a sindicalização. O que, colocado de outra forma, também significa: maior tempo de trabalho e sem direitos trabalhistas mínimos.
O cenário, portanto, que nunca foi novidade para a economia do país, é de um retorno, ainda que em outros termos, à escravidão. Ou, de pelo menos, um certo tipo dela.
Basta pensar, por exemplo, qual a lógica de uma empresa contratar outra para prestar um serviço que poderia ser desenvolvido por seus funcionários? Lógico que a segunda, a contratada, vai querer lucrar e o lucro é justamente o que deveria ser parte do salário e qualificação dos terceirizados. Isso, na Administração Pública, piora.
Pensemos na escola. Geralmente, os serviços de limpeza, vigilância e de alimentação são terceirizados. Para quem sempre reclama da compreensão mais extensiva da escola para além do eixo aluno-professor, isso se torna uma falácia. E não sem motivo. Os trabalhadores terceirizados demandam pouca qualificação e a alta rotatividade não permite um investimento em sua qualificação. O resultado é óbvio: a cada quatro meses, por exemplo, um novo estranho está trabalhando na escola. Os mais otimistas chegam a dizer que ele ou ela fazem parte da comunidade escolar, mas, de que modo?
Na Justiça do Trabalho os casos mais pitorescos – numa expressão bastante suave – são demandados por empresas terceirizadas. A exemplo, segundo Ricardo Antunes, um dos principais sociólogos do trabalho, do uso de fraldas para dobrar a jornada de trabalho sem precisar usar o banheiro em empresas de telemarketing do Brasil.
E por aí segue...
O que esse PL aponta para o horizonte é o desmonte do trabalho e a sua evidente recondução periférica com mais arrocho e uma precarização constante. Tão brutal que, como um curso do rio, arrasta a tudo e a todos a um só tempo. Tanto no setor privado, lugar por excelência dos maiores abusos, quanto, agora, no serviço público.
Dado toda essa conjuntura nefasta, amanhã (15), um grande ato, convocado pelas centrais sindicais e organizações de esquerda, tomarão conta das ruas do Brasil. Não só para rechaçar o PL das Terceirizações como também contrário às medidas provisórias de ajuste fiscal de Dilma. Ainda não é o ideal nem suficiente. Mas já é um primeiro passo.
Os ataques à classe trabalhadora continuarão...

Baruc C. Martins é formando em Jornalismo pela UFS. 

A PEDRA JÁ FOI LANÇADA!

O início de 2015 tem chamado a atenção para campanha eleitoral escancarada. De um lado, vereadores compram briga na aprovação de projetos pelo bem do povo, têm disponibilidade e garra para resolver problemas da sociedade com maior afinco e o prefeito municipal deflagra sua campanha ao lado do secretário municipal de Obras (que encabeçará a chapa majoritária) para as eleições de 2016.

Todos podem negar de pé junto, mas uma coisa é certa: a eleição está aí e a prerrogativa de haver um mandato tampão de 2 anos para em 2018 quando poderia haver eleições de presidente a vereador acelera o temor pelo pior e pelo últimos desdobramentos. Todos estão também temerosos da imagem negativa junto à sociedade. Logo, os envolvidos perceberam que algo precisa ser feito urgentemente para desconstruir tudo que jogou por terra a ideia de continuarem no comando no próximo mandato.

Ontem (14), por exemplo, o prefeito municipal, Thiago Dória, novamente o pré-candidato a vice, Adauto Faustino, presidente da Câmara, Dorinete Dória, secretária municipal de Saúde, Pedro de Jesus, Carlos Henrique, pastor da igreja e correligionários participaram do lançamento da pedra fundamental para construção da Assembleia de Deus na comunidade Malhadinha. Até o presidente do PRB local, Luís Américo, esteve presente. Sua presença é resultado de uma pesquisa oculta em que o jovem e promissor político tem um naco a ser conquistado: seu eleitorado.

Depois de esnobar nomes como Rita de Cássia, Eduardo Milton, Caduda, Ina Valéria, a ex-primeira-dama, o próprio Pedro Rodrigues após avaliação interna do partido, Thiago fincou o pé sustentando o nome do amigo Adauto e jogou por terra qualquer tentativa de que os respectivos pré-candidatos ao Executivo encabeçassem a chapa a partir de janeiro. 

Contudo, o prefeito municipal pode não saber, mas ele pode enfrentar mais adiante um grupo rebelde vinculado ao PT e desafetos. Caso ocorra, a situação piora para manutenção da dinastia Dória favorecendo assim a oposição que mantém o grupo coeso. 

Com o lado da situação fragmentado, a tendência é fortalecer o lado opositor. Na campanha de 2012, nós demos o recado: a oposição só venceria se seguisse unida. Eles não ouviram o recado e deu no que deu: tiveram mais votos do que o vencedor, mas o voto fragmentado deu vantagem ao prefeito atual. Agora, a possibilidade de divisão de ideias e apoio podem azedar a futura campanha de reeleição de Thiago. Cacife parte do grupo esnobado tem, só falta colocar em prática. Mas a divisão terá um remédio amargo:  ajudar a escalada da oposição. Munição já ficou comprovado que ela tem: pequena diferença de votos.

Por enquanto, só a fé num futuro melhor pode determinar quem levará a melhor: a pedra filosofal já foi lançada.

+ NEWS:

+ Professores da rede poço-verdense se uniram aos demais colegas em Aracaju para a Marcha Nacional pela Educação Pública. O grupo saiu do Parque da Sementeira por volta das 14:00 horas. O objetivo: cobrar o reajuste do piso salarial para todos; soluções para a violência dentro das unidades escolares; melhorias urgentes na estrutura física das escolas; entrega das escolas estaduais para as redes municipais de Ensino e a gestão democrática.

+ Vem aí a II COPA REGIONAL DE FUTEBOL AMADOR "ANTÔNIO DA FONSECA DÓRIA". A competição contará com 16 equipes

 São Francisco de Adustina-BA, Antense de Antas-BA, E.C. Samambaia de Tobias Barreto-SE, João Grande de Heliópolis-BA, Adustinense de Adustina-BA, Expressinho de Fátima-BA, 13 de Dezembro de Raspador-BA, Lagoa Dourada, Cruzeiro, Confiante, Vitória, Vila Nova, Rompe Gibão, Íbis, RVA e Santa Cruz. Reunidos nesta quarta-feira (15), na prefeitura municipal, o grupo formado por presidentes dos clubes envolvidos juntamente com o diretor de Esporte, Antônio França definirão a data de início dos jogos: 16 de maio. Ficou definido ainda a premiação: Campeão Principal 5 mil reais; Vice-campeão mil reais, na Campeão Aspirantes : 800 reais e Vice-campeão 200 reais.  A partir de 9 de maio iniciarão as inscrições.